Não queremos outra rede social proprietária

imagesSaiba porque não estamos interessados..

Confira abaixo a tradução livre do artigo “No, I am not interested in joining your proprietary social network” postada originalmente no site Meta.ath0.com e escrita pelo Mathew.

Não, eu não estou interessado em entrar na sua rede social proprietária

Eu não me importo se é ello ou sgrouples ou FriendFace ou app.net ou o que seja. Eu não estou entrando em outra rede social fechada dominada por uma única organização. Eu já tive o suficiente disso.

Eu não me importo se tem uma forte política de privacidade, eu não me importo se tem uma boa segurança, eu não me importo se não tem anúncios, eu não me importo se permitirá o uso de apelidos, eu nõ me importo se as pessoas que estão lá são realmente legais. Todas essas coisas não tem valor se o site é controlado por uma única organização, oirqye eles podem ser mudados por um capricho.

Lembre-se, Facebook costumava ser livre de anúncios, meio fechado, não tinha mineração de dados e não forçava você a entrar com o nome real. Então eles decidiram que irião fazer dinheiro, e seu único recurso era o banco te usuários cativo.

Twitter costumava ser livre de anúncios e não tinha mineração de dados também, e costumava ser aberto para que qualquer um pudesse criar clientes para a rede. Então eles decidiram que tinham que fazer dinheiro, e isso significava garantir que os clientes mostrassem anúncios de forma adequada, e isso significava bloquear o seu cliente de Twitter favorito e mostrar a você posts que ninguém havia compartilhado.

Voltando ainda mais no passado, LiveJournal costumava ser gerenciado por uma pequena equipe de pessoas que se engajava diretamente com seus usuários. Então eles venderam para uma companhia que não se importava, que vendeu para uma companhia russa que entrou pelo dinheiro.

Não cometa erros, esse ciclo irá se repetir com o Ello e todas as outras redes sociais fechadas de um único provedor. Servidores custam significativamente tempo e dinheiro para rodar — Eu sei porque eu gerencio alguns. A menos que você seja um excêntrico milionário ou um fundo confiável para pagar pela hospedagem, conforme o site cresce, cedo ou tarde alguém vai decidir que aquilo precisa pagar por ela mesma. De fato, mesmo se você tiver o investimento de um excêntrico milionário, você ainda dependerá dos caprichos dele para manter a política de privacidade e de anúncios que você gostaria.

Capitalistas de risco não são filantropos. Eles não colocaram meio milhão de dólares no Ello para que ele se tornasse algo não lucrativo, não importa o que o fundador possa dizer sobre escolhas sem restrições. O fato de que o Ello não está a frente de seu financiamento é muito revelador.

Então, qual é a alternativa? Uma palavra: Federação.

O que nós precisamos são de redes sociais abertas, como o e-mail e a web, onde qualquer um que queira possa criar seu próprio servidor (ou pagar alguém para que o faça) e entrar na conversa pelo sistema que eles controlam. Nós precisamos de sistemas sociais que sejam descentralizados, ao invés de centralizados e corporativistas. Sistemas em que no mínimo, existam multiplas organizações independentes rodando servidores, e você possa migar se quiser ou se decidir que não gosta do servidor onde está no momento.

Há um sistema construído dessa forma. Também não tem anúncios, não exige que você use o seu nome “real” ou especifique o seu gênero, não agrega seus dados para vender às corporações, e não gerencia anúncios. Possui uma configuração de privacidade por postagem, então você pode compartilhar apenas com as pessoas que você confia. Você pode postar fotos e comentários, discutir coisas com amigos em tópicos de discussão, e fazer a maioria das coisas que você faz atualmente no Facebook ou Twitter.
É chamada de Diaspora. Você deve ter ouvido falar. Foi grande por um curto período de tempo, mas então as pessoas se desapontaram com o código inicial e tragicamente um dos principais desenvolvedores cometeu suicídio.

Diaspora não é tão bela quanto outras redes sociais. Não possui páginas de admissão que fazem promessas para que você se sinta bem. Não é popular com as celebridades. Mas funciona, e você pode entrar agora mesmo, e porque possui o código fonte aberto não será tirado de você ou transformada na próxima pan-óptica destruidora de privacidade. Quer experimentar? Tutoriais estão disponíveis, você pode escolher entre uma dezena de servidores, e meu perfil é público.

Então em resumo: Por vaor não perca tempo me pedindo para entrar em outra rede social fechada. Se você encontrar um sistema descentralizado melhor que o Diaspora, Estarei pronto para isso, mas não, eu não estou interessado no próximo Facebook, Twitter ou Google+.

Nenhum comentário

Sorry, the comment form is closed at this time.

O dia que o Oiticica rodou a baiana no MAM

heliooiticica-passistamangueiracomparangolenomam11

“..crioulo não entra no MAM, isto é rascismo.”

Details »

14.11.2015

12249651_1493240957637533_3087852886953099477_npq

Não pode entrar na escola

Details »

Vai vadiar

vaivadia

Quem gosta da orgia

Details »

Eu não sei dizer

entãoeuescuto

Nada por dizer

Details »

No jornalismo não há ética sem democracia

1984democratiza

Nos primeiros capítulos do seu livro..

Details »

Resistimos!

resistimos256256

Não porque somos corajosos.

Details »

A catástrofe do jornalista

jornalistaboom256256

“Qualquer jornalista que não seja demasiado obtuso..

Details »

O palhaço

palhaço

Details »

A dúvida..

23052015-IMG_5044

A dúvida era um insondável sofrimento.

Details »

O seu veículo..

bike

Tenho pedalado diariamente em Londrina..

Details »

Rixa fanfarrão

rixpq

Coisas do Paraná.

Details »

“Era tudo uma coisa só

vidaoperaria

Mário, pedra e lago”

Details »

A maior riqueza do homem

robertshanapakeharrison

É a sua incompletude.

Details »

O recrutamento

marcha

Os passos estão se tornando mais nítidos.

Details »

O que Proudhon diria sobre o Facebook?

1984

Usar o Facebook é..

Details »

E a vida está acabando

ponteiros

Após ter dormido na metade do filme..

Details »

E eu..

eeu

Faltavam 5 minutos para a morte chegar,

Details »

Só nos resta a vida para viver

7a788-enlacoladelinem

“Em nosso sistema político e social,

Details »

O dia da indiferença – Jack Kerouac

diadanossadesesperança

Não é verdade?

Details »

Tellico: Gerenciando coleções de livros

tellico-screenshot

Pesquise na internet os dados do livro com o Tellico.

Details »

Dislike Facebook

dislikestencil

Nos vemos nas ruas..

Details »

Música: O pirata – Ave Sangria

avesangria

Sem bandeira, sem espada, no mar pra viver

Details »

Vídeo: Exija sua privacidade

surveilance

Big Data se transormou em Big Brother..

Details »

Não queremos outra rede social proprietária

images

Saiba porque não estamos interessados..

Details »

Facebook, Google e a identidade online

translate

Confiram a tradução do artigo do http://qz.com.

Details »

Documentário: Vítimas do Facebook

fbnff

O Facebook não foi feito por amor. É um negócio!

Details »

Facebook: Ninguém curte isso

nblfb

Vídeo: Você precisa sair do Facebook legendado.

Details »

O papão

idol-moloch2

“As crianças tem medo à noite..”

Details »

Referenciais

realidade

“Sempre preferi gente ao tempo e ao espaço.”

Details »

Virtude militar

wall

Vês aquele muro?

Details »

Toda flor tem seus espinhos

Sim

Details »

Estar em paz – Oscar Wilde

09022014-IMG_5404-2

“Descansar na macia terra escura,

Details »

Bad luck

badluck

Gostaria de enraizar..

Details »

Jornalismo que preocupa: Gazeta do Povo

EditorialGazetadoPovo

Gazeta do Povo sobre protestos no Brasil.

Details »

Documentário: Black Block legendado (2011)

blackblock2011

Documentário: o terror policial em Gênova 2001.

Details »

Filme: Diaz – Não limpe esse sangue (2012)

diaz-movie.jpg

“Mataram um de 22. O que mais querem?”

Details »

Documentário: El cine libertario legendado

nosotrossomosasi

La revolución en el séptimo arte

Details »

Copavi: Terra libertada, sonho construído

copavi

“Uma prova de que é, sim, possível.”

Details »

Música: A banca do distinto

burguesia

Pra que tanta pose, doutor?

Details »

Música: Eu despedi o meu patrão

autogestao

Ele roubava o que eu mais valia..

Details »